Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Equívoco

por Mariana, em 25.08.11

O Sr João era um homem muito respeitado na aldeia onde vivia há cerca de vinte anos. Todas as manhãs ele tomava o pequeno-almoço no café principal da aldeia e lia o jornal. As pessoas estavam hhabituadas a vê-lo vestido impecavelmente com os óculos no bolso da camisa e a barba cuidadosamente aparada enquanto analisava enquanto analisava atentamente o jornal. Também era comum vê-lo a responder às várias pergunatas que lhe faziam. No fundo ele era uma espécie de sábio para os aldeãos. 

Mas havia uma coisa sobre a qual não falava: o seu passado e a sua vida pessoal. As velhas costumavam juntar-se para discutir este aspecto: "Será viúvo?" perguntava uma; "Talvez solteiro...", dizia outra; "Esteve emigrado e voltou de França..." jurava a última a pés juntos. Mas a verdade nunca foi confirmada e as discussões continuaram... Apesar desta lacuna o Sr João era sem dúvida um dos homens mais respeitados na aldeia.

Até aquela fatídica manhã de segunda-feira, quando a D. Teresa mulher do capitão da GNR da aldeia, entrar no café onde todos tomavam o seu pequeno almoço para contar a terrivel novidade: o Sr João tinha sido preso na noite anterior porque era suspeito da morte de uma misteriosa mulher.

Rapidamente o burburinho no café cresceu e todos opinavam em relação ao que acabavam de ouvir. A D. Joana, que no dia anterior perguntara ao Sr João como controlar o seu orçamento familiar, garantia que nunca confiar nele. A D. Fátima dizia mesmo que sempre o achara perigoso e o Sr António, dono do bar, que todos os dias lhe vendia o jornal e servia o café garantia para quem o quisesse ouvir que um homem que se veste assim, com todos os conhecimentos que tinha, a viver numa aldeia daquelas ou não era normal ou tinha algo a esconder.

O homem da D. Teresa contou-lhe mais tarde que a mulher encontrada morta era uma amiga do Sr João de há muitos anos. A D. Teresa, zelosa do seu dever, correu a contar os novos desenvolvimentos da históriano café e muito se conspirou sobre o motivo e o modo como ele a tinha assassinado.

O Sr João acabou por sair em liberdade e foi preso um homem na sua vez. Mas, apesar de ter sido dado como inocente, a aldeia não o absolveu do crime que não cometera e todos o olhavam de lado ou atravessavam a rua para não se cruzarem com ele ao fim de muitos anos. Nunca mais se lembraram dos conselhos que dava ou dos esclarecimentos sobre a actualidade que fazia. 

E ele aprendeu que se pode passar de amado a odiado e de bestial a besta num segundo.

Autoria e outros dados (tags, etc)


8 comentários

Imagem de perfil

De Solange Fernandes a 25.08.2011 às 23:12

Obrigada pelo comentário =)
Beijinhos*
Imagem de perfil

De copodeleite a 26.08.2011 às 20:29

pode-se dizer que tirei umas férias do blog mas, sim, voltei :)
Imagem de perfil

De copodeleite a 27.08.2011 às 17:28

é bom saber que o aprecias :)
Imagem de perfil

De narmy. a 28.08.2011 às 22:04

infelizmente, isto representa a liberdade. um passo em falso, e acabou.
Imagem de perfil

De Jé. a 29.08.2011 às 19:22

Também espero que sim :) Obrigada pela força.
Beijinho ^^
Imagem de perfil

De Yohanan a 02.09.2011 às 13:55

e esta prosa, que me dizes tu disto? eu quero mais, dá continuação a isto, quero saber quem era ele! :D
e és uma querida Mar. 
Imagem de perfil

De Yohanan a 02.09.2011 às 23:42

NICEE
Imagem de perfil

De B a 04.09.2011 às 21:17

<3

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.